Preço elevado esvazia leilão de trigo

Foi baixíssimo o interesse da indústria no trigo ofertado ontem (3) em leilão pela Conab, em Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. Do total de 138,91 mil toneladas da safra 2008, foram vendidas apenas 3,75 mil toneladas. No RS, o governo não conseguiu comercializar nada das 75,6 mil toneladas de trigo-pão. A principal explicação para a baixa demanda foi o preço estipulado para a abertura do leilão, de R$ 480,00 a tonelada, enquanto no mercado é possível encontrar o produto a R$ 460,00. O consultor da Safras & Mercados, Élcio Bento, enumera outros fatores para o esvaziamento do leilão: incerteza de qualidade dos lotes, proximidade da colheita paranaense – que deve gerar recuo de preço – e o fato dos moinhos estarem abastecidos.

O superintendente regional da Conab, Carlos Manoel Farias, reconhece que o problema foi preço. Com isso, foi frustrado o objetivo da União de desovar estoques públicos para fazer caixa para as intervenções na nova safra e liberar espaço nos armazéns para receber os grãos que começam a ser colhidos no país. Desde abril, quando iniciou a intervir no mercado do trigo, a Conab ofertou 1,7 milhão de toneladas no país, mas somente 400 mil toneladas foram absorvidas pela indústria. Bento acrescenta que o prazo de pagamento das operações, de 15 dias, é considerado curto pelas empresas. O consultor da Fecoagro, Tarcísio Mineto, acredita que pode haver uma modificação do mercado nas próximas semanas, uma vez que o governo argentino limitou a concessão de licenças de exportação a cooperativas do setor.

 

Fonte:  Sonoticias

Especialista dá dica de como fazer café caseiro

Já foi comprovado cientificamente que o perfume de um café recém-passado está entre os cinco odores que provocam maior sensação de felicidade nas pessoas. E não é preciso recorrer a receitas rebuscadas para completar a satisfação: o cafezinho caseiro, se feito com cuidado, pode proporcionar toda a alegria que a bebida tem para oferecer.

Para a especialista Gelma Franco, o primeiro passo para preparar um bom café em casa é comprar um café de qualidade.

A água também pede atenção e o ideal é que seja filtrada ou mineral. Na preparação, ela não deve chegar ao ponto de fervura. “A água precisa estar na pré-ebulição, baixe o fogo quando começarem a se formar as bolhas maiores”, ensina Gelma.

A pressa, explica, é um dos erros mais comuns cometidos pelos brasileiros na preparação da bebida. “Quando começar a passar o café, primeiro umedecer o pó e em seguida ir colocando a água em círculos para dificultar o caminho, senão ela passa direto”.

E o cuidado com a temperatura não para na água. “É preciso escaldar muito bem a garrafa térmica, escaldar as xícaras, elas precisam estar quentes”, ensina.

Na hora de servir, deixe o açucareiro e o adoçante de lado. “Nós temos uma herança de Portugal de adoçar demais o café, mas o café de qualidade não precisa de açúcar”.

Ervas e cítricos

Para quem quer novas sensações na hora do cafezinho, Gelma Franco dá uma dica: antes de coar, misturar ao pó alguma erva, como o chá verde ou a erva cidreira. “O sabor do café vai prevalecer, mas você tem uma experiência diferente”.

Café também combina com cítricos. Na receita de café romano, por exemplo, a borda da xícara é untada com suco de limão e raspas da fruta ficam no pires para serem degustadas entre um gole e outro. Para os meses frios, ela ensina a fazer o Noturno, que incrementa a bebida com vinho do porto, leite condensado e canela.

INGREDIENTES

50ml de café coado
15ml dose de vinho do porto
50ml de leite condensado
1 pitada de canela (5g) para enfeitar
1 unidade canela em rama para aromatizar

MODO DE PREPARO

Na coqueteleira coloque o expresso, o vinho do porto e o leite condensado. Misture tudo até ficar bem cremoso. Coloque numa taça de vinho tinto. Salpique a canela no topo e coloque a rama de canela na borda da taça, para enfeitar.

Grau de dificuldade: Fácil
Tempo de preparo: Até meia hora

JULIANA ZAMBELO
de São Paulo

 

Fonte:   Folha de São Paulo