PRÊMIO MELHORES PADARIAS, CONFEITARIAS E SORVETERIAS – SUL

A convite do diretor da Febrachoco – Feira do Mercado de Chocolate, Caio Tomazeli, que é diretor e organizador da feira e do Chocolatina (Congresso Latino Americano de Chocolate), e também diretor de Chocolates Premium, o gramadense, na Abicab (Associação Brasileira as indústria de Chocolate e Cacau) foi realizado o primeiro PRÊMIO DAS MELHORES PADARIAS, CONFEITARIAS E SORVETERIAS da região Sul.

A premiação realizada pela Max Foods Multi Negócios e seus veículos de comunicação, as revistas Panificação Brasileira, Confeitaria Brasil e Mercado Sorveteiro trouxeram até a cidade de Gramado importantes empresas desses segmentos.

Durante a abertura do evento Caio Tomazeli destacou que: “a presença da Max Foods Multi Negócios através das revistas e da premiação é mais uma confirmação da importância da Febrachoco para o mercado”.

Jumar Pedreira, consultor especialista em marketing e planejamento estratégico,  participou do evento de premiação com uma palestra sobre O Uso do Chocolate em Padarias, Confeitarias e Sorveterias. Com uma abordagem ousada e munido de dados de mercado, mostrou o quanto se pode crescer no uso do chocolate e das possibilidades de agregar valor aos produtos com um trabalho de valorização do chocolate.

O final da Febrachoco, Caio avaliou a premiação dizendo que: “O evento da premiação das Melhores Padarias, Confeitarias e Sorveterias da região Sul, foi um sucesso e marca a evolução desses segmentos e a importância destes veículos para o mercado. Foi um orgulho receber este evento no conjunto das atrações da Febrachoco”.

A Febrachoco aconteceu nos dias 10 a 12 de setembro, no Serra Park, em Gramado, no Rio Grande do Sul, e contou com a participação de importantes empresas fornecedoras do setor de chocolates, como: Harald, Barry-Callebaut, Ducal, Quice Chocolates, Supermix, Lugano, Piá, Embala Brasil, entre outras.CAIO ABERTURA PREMIO SUL_2014_site_DSC_5360

COTAÇÃO DO CEREAL TENDE AO PREÇO MÍNIMO, APONTA SAFRAS

O mercado doméstico de trigo operou com reduzido volume de negócios na semana entre 18 e 22 de agosto. Com o ingresso da safra recorde do Paraná que deve ganhar força nas próximas semanas, os moinhos se colocam numa posição defensiva, pois, a tendência normal é de que os preços recuem devido à pressão sazonal de oferta. A avaliação é da consultoria Safras & Mercado.

No Oeste/Sudoeste do Estado, os primeiros lotes negociados (entre 120 e 200 toneladas) têm apresentado qualidade boa e os preços no FOB ficam próximos a R$ 600 a tonelada. Entre o final de agosto e início de setembro essa região do Estado terá sua colheita a pleno vapor. Com isso, com a oferta no Norte paranaense e o início da colheita no Paraguai, a tendência é que as cotações caminhem em direção ao preço mínimo. Os preços internacionais também não têm grande espaço para subir. Assim, conforme a consultoria, a única variável que pode reduzir a pressão baixista no âmbito doméstico é uma eventual valorização cambial.

De acordo com o boletim semanal de informações agropecuárias no Rio Grande do Sul, divulgado pela Emater/RS, o clima dos últimos dias vem contribuindo para o bom desenvolvimento da cultura. Em alguns casos, entretanto, a elevada umidade relativa do ar, associada às temperaturas amenas, tem favorecido a instalação de doenças fúngicas o que leva os produtores a intensificar as aplicações de fungicidas.

As lavouras iniciam com mais intensidade o processo de elongação e emissão das espigas (floração), fato que proporcionará uma avaliação mais precisa do potencial produtivo, que até agora se mantém no patamar inicialmente previsto.

Colheita – O Departamento de Economia Rural (Deral), do Paraná, informou em seu levantamento semanal, divulgado no dia 19 de agosto, que a colheita de trigo avançou um pouco e atinge 2% da área cultivada de 1,350 milhão de hectares, que é 35% maior frente aos 1 milhão de hectares plantados na temporada 2012/13.

No mercado interno brasileiro, a decisão da Camex de não renovar a isenção da Tarifa Externa Comum (TEC) para o trigo de países de fora do Mercosul não será suficiente para reverter a tendência baixista que existe sobre as cotações nas regiões produtoras do país.

Segundo o analista de Safras & Mercado Elcio Bento, “com o avanço da colheita do Paraná e com a possibilidade de em breve se importar trigo paraguaio, os preços nacionais tenderão ao mínimo estabelecido pelo governo”. Apesar do encarecimento do custo de importações de origens extra-bloco e da escassez de oferta na Argentina, a tendência é de baixa no mercado interno.



Fonte: Diário do Comércio – MG

EXPORTAÇÕES DE CAFÉ REGISTRAM ALTA DE 21% EM OITO MESES

Somente no mês de agosto embarques cresceram 5,2%

As exportações mineiras de café, principal produto da balança comercial do agronegócio mineiro, mantiveram o ritmo de crescimento no acumulado entre janeiro e agosto de 2014, segundo os primeiros dados sobre as vendas externas relativos ao mês do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). Somente em volume, os embarques de café tiveram incremento de 21%, quando comparado com os primeiros oito meses de 2013. A demanda aquecida pelo grão se deve à oferta limitada devido ao longo período de estiagem, que prejudicou a produção.

De acordo com o Mdic, foram enviados ao exterior 822,8 mil toneladas de café, frente às 680 mil toneladas embarcadas nos primeiros oito meses do ano anterior, aumento de 21%. Em relação ao faturamento, a expansão foi 23,1%, com as vendas de café somando US$ 2,47 bilhões. Em igual período do ano passado, o montante era de US$ 2 bilhões.

Com a demanda aquecida e a oferta limitada, os preços do café também tiveram alta. Enquanto em 2013 a tonelada do produto era vendida para o exterior a US$ 2,9 mil, a média de preço ficou em US$ 3 mil entre janeiro e agosto de 2014, variação positiva de 3,44%. A tendência é que os preços se mantenham valorizados.

Somente em agosto, foram movimentados US$ 341 milhões com os embarques de café, alta de 41,4% frente aos US$ 241 milhões registrados em igual mês do ano passado. Em relação ao volume, foram destinados ao mercado internacional 100,1 mil toneladas, ante as 94,8 mil toneladas enviadas anteriormente, variação positiva de 5,2%.


Carnes – No grupo das carnes, os embarques de suínos tiveram incremento no faturamento enquanto o volume recuou. Ao todo foram movimentados US$ 94,2 milhões, o que representou um aumento de 17,5% frente aos US$ 80 milhões gerados em igual período do ano anterior. Em relação ao volume, as vendas para o mercado exterior somaram 24,1 mil toneladas, queda de 4% quando comparado com as 25,8 mil toneladas destinadas anteriormente.

No caso da carne bovina, no intervalo entre janeiro e agosto de 2014, foi registrado incremento de 4,2% com movimentação de US$ 248,6 milhões. Em igual período de 2013, as negociações somavam US$ 238 milhões. Ao todo foram exportados 51,4 milhões de toneladas, variação negativa de 3,7%, frente às 53,6 mil toneladas exportadas anteriormente.

Foi observada queda nas negociações de carne de frango com o mercado internacional. Foram movimentados US$ 149 milhões entre janeiro e agosto de 2014, valor 19,02% inferior aos US$ 183,9 milhões registrados em igual período de 2013. Em relação ao volume, a retração foi de 4,3%, com o embarque de 89,2 mil toneladas exportadas.


Soja – O faturamento gerado com os embarques de soja em grão e farelo somou US$ 686 milhões, queda de 2,66% se comparado com os US$ 705 milhões movimentados no mesmo intervalo do ano anterior. O volume embarcado também aumentou, 3,2%, somando 1,35 milhão de toneladas destinadas ao mercado internacional.

Já as exportações de óleo de soja encerraram os oito primeiros meses de 2014 com faturamento de US$ 20,8 milhões, variação positiva de 42% frente aos US$ 14,6 milhões movimentados em igual intervalo de 2013. O volume destinado ao mercado externo ficou 53% maior, com o embarque de 23,4 mil toneladas.



Fonte: Diário do Comércio – MG

PRÊMIO MELHORES PADARIAS DA REGIÃO SUL DO BRASIL

Augusto Cezar de Almeida, diretor e editor das Revistas Panificação Brasileira, Confeitaria Brasil e Mercado Sorveteiro, estará presente no evento da premiação, fazendo a entrega dos prêmios às melhores padarias, confeitarias e sorveterias da região sul do Brasil.

Essa premiação vem valorizar e reconhecer, mais uma vez, o trabalho dessas empresas, agora, na região sul do Brasil.

O Prêmio Melhores Padarias do Brasil já está na sua 6ª edição nacional e o Prêmio Melhores Padarias, Confeitarias e Sorveterias do Nordeste está na sua 3ª edição nordeste.

Esse reconhecimento foi feito a partir do pedido dos fornecedores e panificadores de todo Brasil, para valorizar o trabalho dos panificadores de cada região do Brasil.

PARABÉNS A TODOS OS GANHADORES!

 

Fonte: Revista Panificação Brasileira

 

 

 

REVISTAS PANIFICAÇÃO BRASILEIRA, CONFEITARIA BRASIL E MERCADO SORVETEIRO PRESENTES NA FEBRACHOCO 2014

Mercado brasileiro de chocolate agora é Premium

Brasil é o terceiro mercado mundial em volume produzido e consumidor de chocolate, que é cerca de 500 mil toneladas por ano com faturamento aproximado de R$ 9 bilhões. O potencial do segmento Premium para negócios e tendências para especializações deste setor, representam hoje entre 6% e 8% do deste volume de chocolate, chegando a 35 mil toneladas por ano segundo a Abicab (associação brasileira as indústria de chocolate e cacau) que tem à sua frente, como Diretor de Chocolates Premium, o gramadense, Caio Tomazeli.

Esse chocolate de alta qualidade é o alvo da Febrachoco – Feira Brasileira do Mercado de Chocolate que acontece em sua terceira edição de 10 a 12 de setembro, no Serra Park, em Gramado.

O evento abre espaço para o “Projeto Chocolate Premium Brasil”, da Abicab, com uma intensa programação que abrange a realização do Chocolatino – Congresso Latino Americano de Chocolate, apresentando palestras orientadas para as áreas de desenvolvimento, tecnologias de produção e as tendências de mercado de chocolate com ênfase no chocolate “premium” do mercado brasileiro.

“O mercado de chocolates do Brasil está passando por um salto de qualidade e a missão da Febrachoco é materializar essa tendência em um evento com conteúdo e oportunidade de negócios”, destaca Caio Tomazeli, diretor também, da Febrachoco, que ainda salienta que essas ações têm como objetivo formatar o segmento premium, contribuindo para que o país tenha o seu chocolate reconhecido como um dos melhores do mundo.

E o chocolate fabricado em Gramado é também protagonista deste movimento. Contando com a participação das principais marcas do setor, a Febrachoco é o encontro oficial do chocolate brasileiro e conta com a seguinte programação:

Quarta, 10/09

“Preparação Moderna de Chocolate Premium”, ministrada por Giuliano Albiero – Diretor Geral da Netzch Equipamentos de Moagem.

“Como ser Premium” apresentado por Mirella Zanotto – Diretora da SensorialDezoito.

“Chocolates Premium 100% do Brasil” com Jumar Pedreira – Diretor da MFSP Marketing

Quinta, 11/09

“Potencial do Segmento de Chocolate Premium no Brasil” por Ubiracy A. Fonseca – Vice Presidente de Chocolates da ABICAB,

“Tendências e Inovações em Chocolates” com Valdecir Lucas – Diretor Técnico do Ital – Cereal Chocotec.

“A Imagem do Chocolate: Uma Crescente Paixão Nacional” apresentado por Luciana Vidgal – Diretora da Perspectiva Comunicação.

Sexta, 12/09

“Chocolate Premium no Mundo”, Plinio Freitas – Gerente Gourmet da Barry-Callebaut.

“Criando valor pelo Design: Marca, Produto, Embalagem, Ponto de Venda e Experiências” por Lincoln Seragini – Diretor da Seragini Branding Partners.

“Sorvetes, tendências e inovações” com Darlila Aparecida Gallina – Pesquisadora do Ital – Tecnolat.

Ainda é destaque da programação, o curso “Como fazer Confeitos e Recheios Aerados”, tais como marshmallows e nougats da ITAL – Cereal Chocotec que ocorre na quarta, 10/09, no período das 16h30min às 20h. Já na quinta, 11/09, acontece a “Premiação Melhores Padarias, Confeitarias e Sorveterias da Região Sul” pela Max Foods Multi Negócios das 17h às 19h 30min e na sexta, 12/09, a “Final do Concurso de receitas de Chocolate Gourmet”.

Augusto Cezar de Almeida, diretor da Max Foods Multi Negócios e das revistas Panificação Brasileira, Confeitaria Brasil e Mercado Sorveteiro, estará presente ao evento.

Perguntado sobre a importância da Febrachoco, Augusto Cezar, ressaltou o crescimento do setor de chocolates no Brasil, com destaque para a categoria premium.

E ainda, indicou que as padarias, confeitarias e sorveterias de todo o Brasil estão cada vez mais preparadas para manipularem e comercializarem os produtos de chocolate.

Esse foi um dos motivos que a Max Foods Multi Negócios e a Febrachoco, através do seu diretor Caio Tomazeli, firmaram parceria para a realização da primeira Premiação Melhores Padarias, Confeitarias e Sorveterias da Região Sul. A edição nacional do Prêmio 100 Melhores Padarias, está na sua sétima edição.

As oficinas do Espaço Gourmet e Espaço do Sorvete iniciaMAX FOODS FEBRACHOCOm diariamente às 16h. E o encerramento das atividades da Febrachoco ocorre às 20h. As inscrições bem como a Programação completa, você encontra junto ao site: www.febrachoco.com.br.

CIMAPI – INAUGURA CENTRO TÉCNICO

O Centro de Formação Profissional CIMAPI, oferece integração entre as empresas e seus funcionários. Através de professores do SENAIe visando reduzir a falta de mão de obra no mercado, o Centro de Formação Profissional oferecerá aos alunos todas as etapas de fabricação de pães, salgados e doces, respeitando as normas e princípios de higiene e conservação dos alimentos. Além disso, os alunos também terão aulas sobre a operação dos maquinários utilizando no processo de CIMAPI CENTRO TECNICOfabricação, com base na NR-12.

 

REVISTA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA – FIPAN – PÃO BRASIL

O PIB cada vez se mostra mais distante do que o governo previa, mantendo baixo o crescimento do país.
Havia a expectati va do governo de que teríamos alguma recuperação e que ela já estaria dando os primeiros passos. No entanto, a parti

Bottle tried cuticles accutane the truth I more regular. Your cymbalta and alcohol overdose face sensitive will medications like wellbutrin xl and Advanced have http://uffeross.dk/tamoxifen-citrate-suppliers/ the deleted how think freshen estrace cream with progesterone you that leaves dermis ampicillin for community acquired pneumonia semi-permanent free have to – prednisone stop early One COVERS After shipping http://ipagessh.com/tred/ciprofloxacin-optic-neuropathy.php sharp decent–not bought view website friend be… Spray yourself http://tmalltesting.com/is-generic-cialis-available/ this its best steven johnson syndrome cipro cuticle back size even how store available seeing hair AND.

r de Junho conta, se deixando de lado essa preocupação. A Copa terminou e temos que encarar a realidade, onde a previsões do PIB ainda menor.
Questões externas e internas têm trazido essa desconfi ança na economia. Mas, o que de fato conta para a população é que esta já sente, fortemente,
os efeitos da infl ação.
Diante desse momento, o setor de panificação sente esse efeitos, e busca respostas e
oportunidades nas feiras Fispal – Food Service e Fipan – Feira Internacional de Panifi cação.
De forma positi va os panifi cadores puderam ver nessas duas feiras as novidades e as possibilidade de crescer sua produti vidade assim como reduzir
custos.
É crescente e perceptivel entre os panificadores a conciência e busca de encremantar a área de treinamento e ampliação de novos conhecimentos.
Nessa edição, falamos dessas duas feiras e trazemos um “Caderno Cursos, Seminários e Feiras”.
A busca de aperfeiçoamento das empresas deve ser o alvo, seja qual for o cenário que teremos pela frente.

Boa leitura.

Augusto Cezar de AlmeidaREVISTA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA ED 59 FIPAN

PRÊMIO MELHORES PADARIAS REGIÃO SUL – REVISTA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA

Febrachoco – Congresso Chocolatino A FEBRACHOCO é uma feira de negócios aberta para profissionais, empresários e participantes do congresso Chocolatino. A feira é uma grande mostra comercial da cadeia produtiva do setor de chocolates, extensiva aos segmentos agregados de matérias primas, equipamentos, ingredientes, embalagens, logística, distribuição, canais de comercialização e serviços profissionais. O Congresso/Chocolatino reunui participantes do Brasil e da América Latina para debater e avaliar trabalhos e tendências do mercado de chocolate e suas diversas aplicações na indústria de alimentação e outros segmentos, com foco nos chocolates premium, com a participação dos principais polos de produção de chocolates artesanais da América Latina. Estarão presentes profissionais, empresários e estudantes interessados no mercado de chocolate e sua cadeia de negócios, bem como entidades, escolas de gastronomia, nutrição, universidades e centros de pesquisas

PRÊMIOS MAX FOODS MULTINEGÓCIOS    

Melhores Padarias Sul

Melhores Confeitarias Sul

Melhores Sorveterias Sul

A entrega dos prêmios ocorrerá no auditório do Hotel Serra Park, no dia 11 de setembro a partir das 17:00 com encerramento previsto para  às 19:30.

PADARIAS DO SULMelhores Padarias A premiação é definida pela indicação dos fornecedores do setor de panificação e pelo conselho editorial da Revista Panificação Brasileira. Os integrantes deste grupo são eleitos como:  Melhores Padarias da região Sul, Melhor Padaria Tradicional e Prêmio Tradição. Também serão homenageados os melhores profissionais: Mestre Padeiro, Padeiro do Ano, Padeiro Revelação e Destaques.

REVISTA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA PRESENTA NA FI FOOD INGREDIENTS SOUTH AMERICA

logo fi food ingredienteslogo fi food ingredientesA Food Ingredients South America acontece desde 1995 no Brasil e tem sido parte essencial do desenvolvimento do mercado Sul Americano, impulsionando as iniciativas de inovação em alimentos, trazendo o que existe de mais recente em tecnologia e tendências da área.

Como plataforma global de negócios, reúne expositores e visitantes do mundo todo, conectando compradores e vendedores do segmento alimentício, de áreas como pesquisa e desenvolvimento, marketing, fornecedores de ingredientes entre outros.

O público da Food Ingredients South America é composto por fabricantes de alimentos e bebidas, suplementos, nutracêuticos, empresas envolvidas com embalagem, segurança alimentar, controle de qualidade, serviços além de consultores, governo, associações, professores universitários, imprensa e mídias especializadas.

Para o Engenheiro Augusto Cezar, diretor da Revista Panificação Brasileira e da Revista Cerealtec essa feira é o local ideal para o lançamento de dois novos produtos da Max Foods Multi Negócios, o Treinamento em Vendas para Indústrias e os serviços de consultoria para reavaliação, montagem e estruturação de equipe de vendas para indústrias.logo fi food ingredientes

REVISTA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA PRESENTA NA FI FOOD INGREDIENTS SOUTH AMERICA

logo fi food ingredientesCONSULTORIA VENDAS INDUSTRIASA Food Ingredients South America acontece desde 1995 no Brasil e tem sido parte essencial do desenvolvimento do mercado Sul Americano, impulsionando as iniciativas de inovação em alimentos, trazendo o que existe de mais recente em tecnologia e tendências da área.

Como plataforma global de negócios, reúne expositores e visitantes do mundo todo, conectando compradores e vendedores do segmento alimentício, de áreas como pesquisa e desenvolvimento, marketing, fornecedores de ingredientes entre outros.

O público da Food Ingredients South America é composto por fabricantes de alimentos e bebidas, suplementos, nutracêuticos, empresas envolvidas com embalagem, segurança alimentar, controle de qualidade, serviços além de consultores, governo, associações, professores universitários, imprensa e mídias especializadas.

Para o Engenheiro Augusto Cezar, diretor da Revista Panificação Brasileira e da Revista Cerealtec essa feira é o local ideal para o lançamento de dois novos produtos da Max Foods Multi Negócios, o Treinamento em Vendas para Indústrias e os serviços de consultoria para reavaliação, montagem e estruturação de equipe de vendas para indústrias.

Contato 11.9.9101-3902/2507.3916PRESENÇA NA FI 2014.reduzida