Trigo: mesmo em entressafra, preço mensal é o menor da série

Ainda em período de entressafra, o mercado doméstico de trigo está sem liquidez e, com isso, as médias mensais têm registrado os menores patamares da série do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, iniciada em 2001. Segundo pesquisadores do Cepea, nos últimos meses, as quedas estiveram atreladas à maior oferta internacional, que pressionou a paridade de importação, deixando o produto especialmente da Argentina mais competitivo. No mercado brasileiro, apesar de a oferta representar cerca de 50% do consumo doméstico, vendedores aproveitam as intervenções governamentais para exportar.

Conforme dados do Cepea, em termos reais (descontando-se a inflação pelo IGP-DI), na parcial deste mês, a média do trigo no mercado disponível do Rio Grande do Sul está 11,2% inferior à de março/11; no Paraná, a queda é 10,4% e, em São Paulo (capital), de 8,1% no mesmo período.

Pesquisadores do Cepea apontam que o cenário mundial de trigo parece não ser altista, o que pode deixar compradores nacionais ainda mais desinteressados. Os preços do trigo, atualmente, refletem a boa relação estoque final/consumo que, no mercado mundial, está na casa dos 31%. Esta é a maior relação das últimas 10 safras, o que tende a limitar reajustes de preços.

Segundo dados do USDA, em comparação à última safra, o consumo mundial do cereal deve aumentar 4,5%, passando para 683,92 milhões de toneladas. Em contrapartida, a produção mundial deve avançar 6,5%, para 694,02 milhões de toneladas, incrementando os estoques finais em 5,1%, que totalizariam 209,58 milhões de toneladas de trigo.

Nos últimos dias, especificamente, os preços do trigo tiveram pequena recuperação. De acordo com dados do Cepea, entre 7 e 14 de março, no mercado gaúcho, houve estabilidade nos preços de balcão (pago ao produtor) e alta de 1% nos de lotes (negociações entre empresas). No Paraná, a média subiu 1,6% no mercado de balcão e 0,72% no de lotes. Em São Paulo (capital), a cotação média do trigo negociado no lote subiu 0,63%.

 

Fonte:  Sonoticias

Trigo: produtores se focam na soja e milho

Com a semana mais curta devido ao feriado do carnaval e com o próximo leilão marcado apenas para 1º de março, o mercado interno de trigo esteve sem liquidez nos últimos dias. Segundo colaboradores do Cepea, nesse momento não há interesse na comercialização do cereal porque produtores estão preocupados com a colheita da soja e aproveitando os poucos momentos de chuvas para semear o milho.

A percepção desses agentes é de que também nas próximas semanas as negociações de trigo permaneçam lentas.

 

Fonte:  Sónoticias

Trigo: negócios melhoram, mas preço não reage

As negociações no mercado interno de trigo voltaram a se aquecer nos últimos dias, à medida que compradores necessitam adquirir o produto para recebimento dos prêmios governamentais. Mesmo assim, os preços não têm reagido, de acordo com dados do Cepea. Em nível mundial, dados do USDA apontam oferta acima da demanda, contribuindo para elevação dos estoques de passagem. Para a Argentina, há expectativas de crescimento das exportações, mesmo que a produção diminua.

Nos últimos dias, agentes sinalizaram que os leilões de PEP (Prêmio para o escoamento de trigo em grão) e de Pepro (Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural e/ou à sua cooperativa) não estão mais agradando tanto compradores, que diminuíram um pouco o interesse na última edição. Ao mesmo tempo, com a boa presença de agentes nos leilões anteriores, agora há necessidade de compra do grão no físico e escoamento para regiões deficitárias ou para exportação. Somente neste ano, já foram negociados em leilões prêmios para 875,71 mil toneladas de trigo, representando 15% da produção colhida em 2011.

 

Fonte:  Sonoticias

Trigo: Brasil importa menos; leilão segue dando ritmo ao mercado

Apesar da entressafra no Brasil e de oferta do produto argentino, as importações de trigo reduziram em janeiro. Segundo pesquisadores do Cepea, a maior dificuldade de registros de exportações de produtores argentinos pode ter pesado para esse resultado. Enquanto isso, agentes nacionais consultados pelo Cepea continuam com as atenções voltadas para os leilões governamentais. No próximo dia 10, o governo realiza novos leilões, nas mesmas condições dos anteriores.

Quanto às importações, segundo dados da Secex, em jan/12, chegaram aos portos brasileiros 137 mil toneladas de trigo em grão, volume 72,8% menor que o adquirido em dez/11 e 73,9% inferior ao de jan/11. Do total importado, 78% vieram da Argentina, 14,8%, do Paraguai, 5,9%, dos Estados Unidos e 1,2% foi proveniente do Uruguai. As compras de farinhas também diminuíram. No mês passado foram adquiridas 45,7 mil toneladas do produto, volume 22% menor que o de dez/11 e 4,8% abaixo do de jan/11. Do total importado, 91,2% vieram da Argentina, 5,9%, do Uruguai, 2,2%, do Paraguai e o restante da Bélgica, Canadá, Estados Unidos, Itália e Reino Unido.

 

Fonte:  Sonoticias

Trigo: com leilões, mercado volta a ter liquidez

Agentes de mercado consultados pelo Cepea estavam ansiosos para o retorno dos leilões governamentais. Nos últimos dias, o apoio governamental agitou o mercado doméstico de trigo, que estava parado. Segundo pesquisadores do Cepea, contudo, as efetivações de negócios devem se manter concentradas nas operações de leilões.

Algumas cooperativas colaboradoras do Cepea, especialmente do Rio Grande do Sul, ainda não indicam preços de balcão nem de lotes. As edições da última sexta-feira voltaram a animar compradores. Segundo colaboradores do Cepea, houve boa aceitação e o leilão foi bem concorrido.

 

Fonte:  Sonoticias

Trigo: retomada dos leilões deve movimentar mercado

O mercado do grão tem apresentado baixa liquidez, conforme indicam pesquisadores do Cepea. Boa parte das cooperativas da região Sul do País praticamente não tem indicado preços devido à falta de interesse de compradores. A tão aguardada retomada dos leilões governamentais de trigo deve acontecer nesta semana, segundo editais divulgados pela Conab.

Com a retomada das operações, os prêmios ofertados aos compradores e a garantia de preço mínimo ao produtor tendem a favorecer o escoamento do trigo. No mercado dos derivados, de acordo com informações do Cepea, a comercialização das farinhas deve voltar ao ritmo normal nas próximas semanas. Contudo, compradores não sinalizam interesse em fazer estoques, o que tende a pressionar as cotações do produto.

 

Fonte:  Sonoticias

Café: com ausência de preço externo, negociação no Brasil segue lenta

As negociações de café seguem lentas no físico brasileiro, de acordo com pesquisadores do Cepea. Ontem, primeiro dia útil do ano, não foi diferente. Sem referência externa – não houve pregão na ICE Futures devido ao feriado em Nova York –, agentes brasileiros preferiram aguardar para negociar. Com isso, muitas empresas nacionais ainda não retomaram suas atividades.

Neste cenário, o Indicador CEPEA/ESALQ tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, fechou a R$ 480,14/saca de 60 kg na segunda-feira, recuo de 1,73% entre 26 de dezembro e 2 de janeiro. Em dezembro, a queda foi de 3,78%.

 

Fonte:  Sonoticias

Café: clima pode impedir recorde da safra 12/13

O desenvolvimento da temporada 2012/13 de café é considerado bom nas principais regiões produtoras do Brasil. No entanto, as expectativas iniciais de agentes consultados pelo Cepea, de que a próxima safra pudesse ser recorde, podem não se confirmar devido à estiagem que afetou importantes regiões até início de outubro. Além disso, geadas atingiram alguns cafezais entre junho e julho. Outro fator que pode limitar a produção é o volume de chuvas abaixo da normal climatológica de algumas regiões cafeeiras em novembro.

Boas chuvas no último bimestre do ano são importantes tanto para o estágio em que se encontram os grãos neste período – chumbinho – quanto para a fase seguinte – granação –, que normalmente ocorre de janeiro a março. Com relação ao mercado de arábica, a liquidez interna continua lenta. Na quarta-feira, 21, o Indicador CEPEA/ESALQ tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, fechou a R$ 486,71/saca, elevação de 0,6% em relação à quarta passada, 14.

Fonte:  Sonoticias

zp8497586rq

Trigo: negócios voltam a ficar lentos no Brasil

A liquidez no mercado interno de trigo voltou a diminuir. Moinhos e indústrias consumidoras de derivados consultados pelo Cepea sinalizam que estão abastecidos. O cancelamento de leilões governamentais também pesou sobre o ritmo do mercado.

Enquanto isso, no mercado internacional, dados do USDA apontam que o aumento da oferta supera o do consumo – ambos devem ser recordes –, contribuindo para que os estoques voltem aos maiores níveis desde 2001/02.

Fonte:  Sonoticias

jfdghjhthit45

Café: indicador do robusta supera os R$ 300/sc

Nessa terça-feira, 6, o Indicador CEPEA/ESALQ do tipo 6 peneira 13 acima superou os R$ 300,00/saca de 60 kg – a retirar no Espírito Santo. O Indicador fechou a R$ 300,32/saca, avanço de 3,31% na parcial de dezembro. Este é o maior valor nominal de toda a série do Cepea para este produto, iniciada em junho de 2011. A média parcial do Indicador em dezembro (de 1º a 6) está 9,5% superior à média de todo o mês de novembro.

Para o tipo 7/8 bica corrida, segundo levantamentos do Cepea, os preços também têm avançado. Este tipo finalizou o dia a R$ 288,21/saca de 60 kg, avanço de 3,83% no acumulado de dezembro – a retirar no Espírito Santo. Segundo colaboradores do Cepea, vendedores seguem retraídos, com expectativas de maiores preços, pelo menos a curto prazo.

Fonte:  Sonoticias

zp8497586rq
jfdghjhthit45