Apoio ao cliente empreendedor – Lojas Assaí

O Assaí Atacadista tem como proposta ser um agente transformador da cadeia de valor de pequenos e médios comerciantes, por meio da conscientização e contribuição nas melhores práticas sustentáveis. Para isso, a rede possui diversas parcerias que buscam estreitar o relacionamento e prestar serviços complementares para o seu cliente empreendedor. Entre os serviços oferecidos nas lojas Assaí de São Paulo, destaque para a parceria com o Sebrae Móvel, Itaú Microcrédito e Sindipan. Confira abaixo mais detalhes sobre cada parceria e as agendas para o mês de março:
Assaí e Sebra Móvel: Com foco nos clientes empreendedores, o Assaí possui desde 2012 uma parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP), que leva, em datas programadas, o Sebrae Móvel para os estacionamentos das lojas da rede. Trata-se de um serviço destinado a esclarecer dúvidas e orientar empreendedores sobre como abrir um novo negócio, formalizar ou melhorar a gestão de suas empresas e torná-las mais competitivas (micro e pequenos empreendimentos).
Durante o mês de março, o SEBRAE Móvel estará à disposição dos clientes em quatro lojas do Assaí Atacadista, no Estado de São Paulo. O serviço prestado é totalmente gratuito e é realizado dentro de uma van totalmente equipada com televisão, computadores, acesso à internet e material informativo, que fica estacionada em frente às lojas. Neste local, analistas e consultores do Sebrae-SP oferecem informações e divulgam os produtos e serviços que o Sebrae-SP disponibiliza para apoiar a gestão das micro e pequenas empresas (MPEs) e a atuação dos microempreendedores individuais (MEIs). Para o atendimento, é necessário que o interessado leve um documento de identificação, como RG ou CPF, e comprovante de endereço. Confira as lojas que receberão o serviço durante este mês no site da rede www.assai.com.br/sustentabilidade
Assaí e Sindipan: O Assaí e o Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de São Paulo (Sindipan) fecharam uma parceria em abril de 2014 para levar aos clientes empreendedores do Assaí Atacadista cursos de capacitação no segmento de panificação e confeitaria. Trata-se da Escola Móvel do Sindipan que ficará estacionada na loja do Assaí Atacadista de Taboão da Serra (Av. Felício Barutti, 3040 – Cidade Intercap – Próximo ao Shopping Taboão da Serra) entre os dias 02 de março e 27 de março de 2015, oferecendo mais de 40 cursos desses segmentos aos clientes da rede. Os interessados podem ligar para (11) 4642-9612 ou comparecer ao estacionamento da loja para obter mais informações.
O projeto, criado pelo Sindipan, tem como base o desenvolvimento dos profissionais do setor de panificação e confeitaria. Em 2015, para melhor aproveitamento, as aulas passaram por modificações e irão focar em especialidades importantes para o mercado, como capacitação em pães, bolos, confeitaria fina, massas folheadas e salgados. O objetivo da iniciativa é contribuir para o setor de panificação, levando a diversos locais da capital informações sobre novos produtos e novas técnicas de produção, capacitando mão-de-obra e melhorando o faturamento e os resultados das empresas do setor.
Assaí e Microcrédito: Parceiro do Assaí desde novembro de 2011, o Itaú oferece microcrédito produtivo orientado aos clientes da rede – empreendedores, em sua maioria sem CNPJ, que buscam um crédito seguro e que caiba no orçamento para aplicar no seu negócio. O empréstimo deve ser destinado ao negócio do cliente: seja para compra de mercadorias, para financiar um equipamento ou reforma do estabelecimento.
Neste mês, os agentes de microcrédito do Itau estarão em oito lojas prestando atendimento aos interessados em aderir ao microcrédito. Confira a agenda completa no site da rede www.assai.com.br/sustentabilidade

CURSOS CEPAB – REVISTA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA

Mais uma vez de forma pioneira, a Revista Panificação Brasileira inova no segmento e estende sua atuação para a realização de cursos e treinamento, através do CEPAB – Centro de Excelência da Panificação Brasileira.

O CEPAB tem a coordenação acadêmica do Eng. Augusto Cezar, com larga experiência no setor da panificação. A coordenação operacional é de responsabilidade do Eng. de Alimentos Roberto Lima, especialista em Garantia de Qualidade.

Segundo Augusto Cezar, “os empresários estão entendendo que o momento de crise no mercado requer ações efetivas para aumentar a competitividade da empresa”.

Neste primeiro semestre, o CEPAB oferece o Curso Transformando seu Atendente em um Vendedor e o Curso – Vendas com Qualidade e Estratégia para distribuidores, representantes e vendedores. As inscrições poderão ser feitas através do email cursos@panificacaobrasileira.com.br ou pela central de atendimento, (11) 2507-3917

7º PRÊMIO MAIORES & MELHORES DA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA – CATEGORIA MATÉRIAS PRIMAS & INSUMOS

Premiação dos Maiores & Melhores da Panificação Brasileira 2014

Categoria Matérias Primas & Insumos   

Em dezembro, aconteceu a solenidade de entrega da 7ª edição do Prêmio Maiores & Melhores da Panificação Brasileira, na Universidade Mackenzie, São Paulo.

Reconhecido nacionalmente, a iniciativa premiou mais uma vez as empresas de todo o Brasil que mais se destacaram no planejamento e execução das estratégias de marketing, ética e qualidade de seus produtos e serviços. Nesses 7 anos, já foram premiadas diversas empresas de diferentes portes e setores.

Instituído em 2008, o Maiores & Melhores da Panificação Brasileira repetiu neste ano a premiação das empresas nas categorias – Matérias Primas & Insumos, Equipamentos & Acessórios, Produtos Prontos (vendidos em padarias),  Aditivo & Ingredientes para as Indústria de Pães e Bolos, Serviços, Produtos Especiais & Utilitários e Distribuidores do Ano.

Mauri – Fleischmann
Adimix
Adinor
Agropalma
Alispec
All Bread
Amafil
Moinho Anaconda
Arcólor
ARLA
Bakels
Blend Coberturas
Bonasse
Bunge Alimentos
Cargill Food Service
Codap
Cosan
Dallora
Dawn
Doremus
Duas Rodas
Emulzint
Festpan Indústria
Garoto
Harald
Ireks do Brasil
Itaiquara
Italac
J.Macêdo
Jpan
Golden Dipt Kerry
Liotécnica
M.Dias Branco
Mavalerio
Mix
Moinho Corina
Moinho Globo
Nestlé Professional
Nita Alimentos
Nordeste Alimentos
Ocrim
Pastoriza
Predileto
Puratos
Rich do Brasil
Moinho Santa Clara
Tangará
Vigor
Vilma Alimentos
Xamego Bom
Horizonte Amidos
Agricola Taranto
Áurea Alimentos
Belarina Alimentos
Agricola Horizonte
Unilever Food Solutions
Sina
Açúcar UNIÃO

Como parte da solenidade de entrega dos prêmios, o Decano da Universidade Mackenzie, Dr. Sergio Lex, proferiu a palestra INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE EMPRESA: NECESSIDADE PARA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA , o ex-ministro Antônio Cabrera falará sobre CENÁRIOS ECONÔMICOS x TENDÊNCIAS PARA O SETOR DE ALIMENTOS .

Ainda dentro da programação do Prêmio Maiores & Melhores da Panificação Brasileira, foram apresentados os projetos na área de Panificação e Confeitaria, realizados pelos Cursos de Nutrição, Gastronomia e Farmácia, da Universidade Mackenzie, através da elaboração de produtos alimentícios inovadores.

O evento contou a com a ilustre presença do Deputado Federal Julio Semeghini, que representou o governador do Estado de São Paulo, Dr. Geraldo Alckmin. Diversas autoridades enviaram manisfestações de apoio ao evento e o setor, entre elas a Presidente da Republica Dilma Roussef.

A Max Foods Multi Negócios apresentou três produtos para o ano de 2015:

1- Novo Grupo de Viagem Técnico Comercial para a Alemanha incluindo participação na feira internacional IBA. Interessados devem contatar através do email – falecomoeditor@panificacaobrasileira.com.br

2- O GUIA TREINAMENTOS & APERFEIÇOMENTOS DA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA. Esse guia trará todos os cursos, seminários, palestras, congressos, cursos a distancia, DVDs, e feiras nacionais e internacionais. Será lançado em Fevereiro para servir de consulta durante todo o ano de 2015.

3- O Anuário da Panificação Brasileira – ano 2015. O mais completo levantamento de fornecedores do setor de panificação, envolvendo padarias, supermercados e indústrias de pães e bolos.

 Para Augusto Cezar de Almeida, a Max Foods Multi Negócios está preparada para trabalhar com seus clientes com várias opções de ações qualquer que seja o cenário que esteja aguardando as empresas no ano de 2015.

Augusto Cezar ainda destacou que as revistas trarão uma pauta que será fundamental para as padarias, confeitarias e sorveterias enfrentarem um mercado mais competitivo.

Editora Max FoodsMulti Negócios
Para anúncios contate: diretorcomercial@panificacaobrasileira.com.br

7º PRÊMIO MAIORES & MELHORES DA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA – CATEGORIA PRODUTOS PRONTOS – PADARIA

Premiação dos Maiores & Melhores da Panificação Brasileira 2014

Categoria Produtos Prontos (vendidos em padarias)  

Em dezembro, aconteceu a solenidade de entrega da 7ª edição do Prêmio Maiores & Melhores da Panificação Brasileira, na Universidade Mackenzie, São Paulo.

Reconhecido nacionalmente, a iniciativa premiou mais uma vez as empresas de todo o Brasil que mais se destacaram no planejamento e execução das estratégias de marketing, ética e qualidade de seus produtos e serviços. Nesses 7 anos, já foram premiadas diversas empresas de diferentes portes e setores.

Instituído em 2008, o Maiores & Melhores da Panificação Brasileira repetiu neste ano a premiação das empresas nas categorias – Matérias Primas & Insumos, Equipamentos & Acessórios, Produtos Prontos (vendidos em padarias),  Aditivo & Ingredientes para as Indústria de Pães e Bolos, Serviços, Produtos Especiais & Utilitários e Distribuidores do Ano.

Ambev
Arcor
Aurora Alimentos
Batavo
Bauducco
Bayer
Bimbo
BRF
Brico
Cadbury
Mitsui Alimentos
Cerrati
Cielo
Danone
Danubio
Femsa – Coca Cola
Ferrero
Fohm
Frimesa
Heineken
Itambé
JBS
Jundiá
Kellog’s
Brasil Kirin
Marba
Marilan
Mentos – Perfetti van Melle
Moinho Nordeste
Sorvetes Nestlé
Panco
Parati
Parmalat
Pepsico
Perdigão
Phillip Morris
Pif Paf
Café Pilão
Piraque
Richester
São Braz
Sara lee
Cimsal
Souza Cruz
Tirolez
Vigor
Village
Vitarella
Wickbold
Energizer / Eveready
Heinz Brasil
Laticínios Catupiry
Panasonic do Brasil
Santa Helena
Unilever – Kibon
Seara

Como parte da solenidade de entrega dos prêmios, o Decano da Universidade Mackenzie, Dr. Sergio Lex, proferiu a palestra INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE EMPRESA: NECESSIDADE PARA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA , o ex-ministro Antônio Cabrera falará sobre CENÁRIOS ECONÔMICOS x TENDÊNCIAS PARA O SETOR DE ALIMENTOS .

Ainda dentro da programação do Prêmio Maiores & Melhores da Panificação Brasileira, foram apresentados os projetos na área de Panificação e Confeitaria, realizados pelos Cursos de Nutrição, Gastronomia e Farmácia, da Universidade Mackenzie, através da elaboração de produtos alimentícios inovadores.

O evento contou a com a ilustre presença do Deputado Federal Julio Semeghini, que representou o governador do Estado de São Paulo, Dr. Geraldo Alckmin. Diversas autoridades enviaram manisfestações de apoio ao evento e o setor, entre elas a Presidente da Republica Dilma Roussef.

A Max Foods Multi Negócios apresentou três produtos para o ano de 2015:

1- Novo Grupo de Viagem Técnico Comercial para a Alemanha incluindo participação na feira internacional IBA. Interessados devem contatar através do email – falecomoeditor@panificacaobrasileira.com.br

2- O GUIA TREINAMENTOS & APERFEIÇOMENTOS DA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA. Esse guia trará todos os cursos, seminários, palestras, congressos, cursos a distancia, DVDs, e feiras nacionais e internacionais. Será lançado em Fevereiro para servir de consulta durante todo o ano de 2015.

3- O Anuário da Panificação Brasileira – ano 2015. O mais completo levantamento de fornecedores do setor de panificação, envolvendo padarias, supermercados e indústrias de pães e bolos.

 Para Augusto Cezar de Almeida, a Max Foods Multi Negócios está preparada para trabalhar com seus clientes com várias opções de ações qualquer que seja o cenário que esteja aguardando as empresas no ano de 2015.

Augusto Cezar ainda destacou que as revistas trarão uma pauta que será fundamental para as padarias, confeitarias e sorveterias enfrentarem um mercado mais competitivo.

Editora Max FoodsMulti Negócios
Para anúncios na edição de cobertura contate: diretorcomercial@panificacaobrasileira.com.br

 

7º PRÊMIO MAIORES & MELHORES DA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA – CATEGORIA EQUIPAMENTOS & ACESSÓRIOS

Premiação dos Maiores & Melhores da Panificação Brasileira 2014

Categoria Equipamentos & Acessórios 

Em dezembro, aconteceu a solenidade de entrega da 7ª edição do Prêmio Maiores & Melhores da Panificação Brasileira, na Universidade Mackenzie, São Paulo.

Reconhecido nacionalmente, a iniciativa premiou mais uma vez as empresas de todo o Brasil que mais se destacaram no planejamento e execução das estratégias de marketing, ética e qualidade de seus produtos e serviços. Nesses 7 anos, já foram premiadas diversas empresas de diferentes portes e setores.

Instituído em 2008, o Maiores & Melhores da Panificação Brasileira repetiu neste ano a premiação das empresas nas categorias – Matérias Primas & Insumos, Equipamentos & Acessórios, Produtos Prontos (vendidos em padarias),  Aditivo & Ingredientes para as Indústria de Pães e Bolos, Serviços, Produtos Especiais & Utilitários e Distribuidores do Ano.

Amádio
Ártico
Balmak
Bizerba
Bralyx
Brasforno
Cabtec
Cainco
Cia Universo
Cimapi
Croydon
Divolpi
Doupan
Eco
Engefood
Esmaltec
Europa
Ferri
Filizola
Gelopar
Gpaniz
Hypo
IBBL
Imeca
Imperial
Klimaquip
Lesfri
Maq-pan
Maquipão
MCI
Metalfrio
Michelleti
MM Informatica
Perfecta
Perlima
Prática
Progas
Progresso
São Luiz Refrigeração
Superfecta
Tedesco

Como parte da solenidade de entrega dos prêmios, o Decano da Universidade Mackenzie, Dr. Sergio Lex, proferiu a palestra INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE EMPRESA: NECESSIDADE PARA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA , o ex-ministro Antônio Cabrera falará sobre CENÁRIOS ECONÔMICOS x TENDÊNCIAS PARA O SETOR DE ALIMENTOS .

Ainda dentro da programação do Prêmio Maiores & Melhores da Panificação Brasileira, foram apresentados os projetos na área de Panificação e Confeitaria, realizados pelos Cursos de Nutrição, Gastronomia e Farmácia, da Universidade Mackenzie, através da elaboração de produtos alimentícios inovadores.

O evento contou a com a ilustre presença do Deputado Federal Julio Semeghini, que representou o governador do Estado de São Paulo, Dr. Geraldo Alckmin. Diversas autoridades enviaram manisfestações de apoio ao evento e o setor, entre elas a Presidente da Republica Dilma Roussef.

A Max Foods Multi Negócios apresentou três produtos para o ano de 2015:

1- Novo Grupo de Viagem Técnico Comercial para a Alemanha incluindo participação na feira internacional IBA. Interessados devem contatar através do email – falecomoeditor@panificacaobrasileira.com.br

2- O GUIA TREINAMENTOS & APERFEIÇOMENTOS DA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA. Esse guia trará todos os cursos, seminários, palestras, congressos, cursos a distancia, DVDs, e feiras nacionais e internacionais. Será lançado em Fevereiro para servir de consulta durante todo o ano de 2015.

3- O Anuário da Panificação Brasileira – ano 2015. O mais completo levantamento de fornecedores do setor de panificação, envolvendo padarias, supermercados e indústrias de pães e bolos.

 Para Augusto Cezar de Almeida, a Max Foods Multi Negócios está preparada para trabalhar com seus clientes com várias opções de ações qualquer que seja o cenário que esteja aguardando as empresas no ano de 2015.

Augusto Cezar ainda destacou que as revistas trarão uma pauta que será fundamental para as padarias, confeitarias e sorveterias enfrentarem um mercado mais competitivo.

Editora Max FoodsMulti Negócios
Para anúncios na edição de cobertura

diretorcomercial@panificacaobrasileira.com.br

7º PRÊMIO MAIORES & MELHORES DA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA – CATEGORIA MATÉRIAS PRIMAS & INSUMOS

Premiação dos Maiores & Melhores da Panificação Brasileira 2014

Categoria Matérias Primas & Insumos 

Em dezembro, aconteceu a solenidade de entrega da 7ª edição do Prêmio Maiores & Melhores da Panificação Brasileira, na Universidade Mackenzie, São Paulo.

Reconhecido nacionalmente, a iniciativa premiou mais uma vez as empresas de todo o Brasil que mais se destacaram no planejamento e execução das estratégias de marketing, ética e qualidade de seus produtos e serviços. Nesses 7 anos, já foram premiadas diversas empresas de diferentes portes e setores.

Instituído em 2008, o Maiores & Melhores da Panificação Brasileira repetiu neste ano a premiação das empresas nas categorias – Matérias Primas & Insumos, Equipamentos & Acessórios, Produtos Prontos (vendidos em padarias),  Aditivo & Ingredientes para as Indústria de Pães e Bolos, Serviços, Produtos Especiais & Utilitários e Distribuidores do Ano.

Mauri – Fleischmann
Adimix
Adinor
Agropalma
Alispec
All Bread
Amafil
Moinho Anaconda
Arcólor
ARLA
Bakels
Blend Coberturas
Bonasse
Bunge Alimentos
Cargill Food Service
Codap
Cosan
Dallora
Dawn
Doremus
Duas Rodas
Emulzint
Festpan Indústria
Garoto
Harald
Ireks do Brasil
Itaiquara
Italac
J.Macêdo
Jpan
Golden Dipt Kerry
Liotécnica
M.Dias Branco
Mavalerio
Mix
Moinho Corina
Moinho Globo
Nestlé Professional
Nita Alimentos
Nordeste Alimentos
Ocrim
Pastoriza
Predileto
Puratos
Rich do Brasil
Moinho Santa Clara
Tangará
Vigor
Vilma Alimentos
Xamego Bom
Horizonte Amidos
Agricola Taranto
Áurea Alimentos
Belarina Alimentos
Agricola Horizonte
Unilever Food Solutions
Sina
Açúcar UNIÃO

Como parte da solenidade de entrega dos prêmios, o Decano da Universidade Mackenzie, Dr. Sergio Lex, proferiu a palestra INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE EMPRESA: NECESSIDADE PARA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA , o ex-ministro Antônio Cabrera falará sobre CENÁRIOS ECONÔMICOS x TENDÊNCIAS PARA O SETOR DE ALIMENTOS .

Ainda dentro da programação do Prêmio Maiores & Melhores da Panificação Brasileira, foram apresentados os projetos na área de Panificação e Confeitaria, realizados pelos Cursos de Nutrição, Gastronomia e Farmácia, da Universidade Mackenzie, através da elaboração de produtos alimentícios inovadores.

A Max Foods Multi Negócios apresentou três produtos para o ano de 2015:

1- Novo Grupo de Viagem Técnico Comercial para a Alemanha incluindo participação na feira internacional IBA. Interessados devem contatar através do email – falecomoeditor@panificacaobrasileira.com.br

2- O GUIA TREINAMENTOS & APERFEIÇOMENTOS DA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA. Esse guia trará todos os cursos, seminários, palestras, congressos, cursos a distancia, DVDs, e feiras nacionais e internacionais. Será lançado em Fevereiro para servir de consulta durante todo o ano de 2015.

3- O Anuário da Panificação Brasileira – ano 2015. O mais completo levantamento de fornecedores do setor de panificação, envolvendo padarias, supermercados e indústrias de pães e bolos.

 Para Augusto Cezar de Almeida, a Max Foods Multi Negócios está preparada para trabalhar com seus clientes com várias opções de ações qualquer que seja o cenário que esteja aguardando as empresas no ano de 2015.

Augusto Cezar ainda destacou que as revistas trarão uma pauta que será fundamental para as padarias, confeitarias e sorveterias enfrentarem um mercado mais competitivo.

Editora Max FoodsMulti Negócios
Para anúncios na edição de cobertura

diretorcomercial@panificacaobrasileira.com.br

 

BUNGE PRÓ – RECEBE PRÊMIO MAIORES & MELHORES DA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA

Premiação do Maiores & Melhores da Panificação Brasileira 2014

BUNGE PRÓ – Categoria Matérias Primas & Insumos 

Em dezembro, aconteceu a solenidade de entrega da 7ª edição do Prêmio Maiores & Melhores da Panificação Brasileira, na Universidade Mackenzie, São Paulo.

Reconhecido nacionalmente, a iniciativa premiou mais uma vez as empresas de todo o Brasil que mais se destacaram no planejamento e execução das estratégias de marketing, ética e qualidade de seus produtos e serviços. Nesses 7 anos, já foram premiadas diversas empresas de diferentes portes e setores.

Instituído em 2008, o Maiores & Melhores da Panificação Brasileira repetiu neste ano a premiação das empresas nas categorias – Matérias Primas & Insumos, Equipamentos & Acessórios, Produtos Prontos (vendidos em padarias),  Aditivo & Ingredientes para as Indústria de Pães e Bolos, Serviços, Produtos Especiais & Utilitários e Distribuidores do Ano.

Como parte da solenidade de entrega dos prêmios, o Decano da Universidade Mackenzie, Dr. Sergio Lex, proferiu a palestra INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE EMPRESA: NECESSIDADE PARA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA , o ex-ministro Antônio Cabrera falará sobre CENÁRIOS ECONÔMICOS x TENDÊNCIAS PARA O SETOR DE ALIMENTOS .

Ainda dentro da programação do Prêmio Maiores & Melhores da Panificação Brasileira, foram apresentados os projetos na área de Panificação e Confeitaria, realizados pelos Cursos de Nutrição, Gastronomia e Farmácia, da Universidade Mackenzie, através da elaboração de produtos alimentícios inovadores.

A Max Foods Multi Negócios apresentou três produtos para o ano de 2015:

1- Novo Grupo de Viagem Técnico Comercial para a Alemanha incluindo participação na feira internacional IBA. Interessados devem contatar através do email – falecomoeditor@panificacaobrasileira.com.br

2- O GUIA TREINAMENTOS & APERFEIÇOMENTOS DA PANIFICAÇÃO BRASILEIRA. Esse guia trará todos os cursos, seminários, palestras, congressos, cursos a distancia, DVDs, e feiras nacionais e internacionais. Será lançado em Fevereiro para servir de consulta durante todo o ano de 2015.

3- O Anuário da Panificação Brasileira – ano 2015. O mais completo levantamento de fornecedores do setor de panificação, envolvendo padarias, supermercados e indústrias de pães e bolos.

 Para Augusto Cezar de Almeida, a Max Foods Multi Negócios está preparada para trabalhar com seus clientes com várias opções de ações qualquer que seja o cenário que esteja aguardando as empresas no ano de 2015.

Augusto Cezar ainda destacou que as revistas trarão uma pauta que será fundamental para as padarias, confeitarias e sorveterias enfrentarem um mercado mais competitivo.

Editora Max FoodsMulti Negócios
Para anúncios na edição de cobertura

diretorcomercial@panificacaobrasileira.com.br

Bunge anuncia investimento de R$500 milhões para construção do novo moinho Fluminense

Projetado para ser o mais moderno da América Latina, o novo moinho
poderá moer mais de 600 mil toneladas de trigo por ano.

A Bunge Brasil, uma das maiores empresas de alimentos e agronegócio do país, anuncia o investimento de R$500 milhões para construção de um novo moinho de trigo, localizado em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. O novo empreendimento integrará o atual moinho Fluminense e o Centro de Distribuição Rio, que serão transferidos para um único local.

 

“O trigo está no DNA da Bunge e é uma das prioridades estratégicas da empresa no Brasil e no mundo. Por isso, estamos dando continuidade ao plano de fortalecimento desse negócio no mercado brasileiro. Iniciamos esse plano em 2013 com a aquisição do moinho Vera Cruz, em Minas Gerais. Além de consolidar nossa posição como líderes, estaremos bem preparados para atender a crescente demanda de farinhas na região Sudeste e reduzir a dependência de importação de farinhas para a região”, afirma Filipe Affonso Ferreira, vice-presidente de Alimentos & Ingredientes da Bunge Brasil.

 

A construção do novo Moinho Fluminense é estratégica. Os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, atendidos pelo moinho, formam uma das regiões onde a empresa está focando seus investimentos para modernizar suas operações, ampliar sua capacidade produtiva e atender as necessidades do mercado em crescimento.  Com a construção dessa nova unidade, que está prevista para ser inaugurada em 2016, a Bunge terá três dos maiores moinhos da América Latina, estrategicamente localizados: Fluminense (RJ), Suape (PE) e Ponta Grossa (PR).

 

“Ao atingir sua capacidade total, o novo moinho Fluminense poderá moer mais de 600 mil toneladas de trigo por ano, o que representa um aumento de mais de 50% sobre o que vem sendo processado no moinho atual”, destaca Ferreira. Grande parte dessa ampliação se deve à utilização de tecnologia de última geração, ainda inédita no país. O novo moinho está sendo projetado para ser a mais moderna planta de moagem de trigo em toda a América Latina.

 

O projeto incorpora conceitos de automação industrial no processamento do trigo, desde o recebimento da matéria-prima, utilizando modernas tecnologias para classificação e beneficiamento dos grãos, até monitoramento e controle dos equipamentos de moagem e envase. Dessa forma, a técnica utilizada no sistema permite melhorias nos níveis de produtividade, eficiência energética e de segurança alimentar, ampliando a qualidade e competitividade do produto final.

 

Como consequência, o novo moinho Fluminense já nascerá com uma das mais relevantes certificações internacionais, para segurança de alimentos em indústrias: FSSC 22000 (Food Safety System Certification 22000). “Fomos pioneiros em conquistar essa certificação para moinhos no Brasil. Os moinhos de Tatuí e Ponta Grossa já são certificados e outros estão em processo. Isso fortalece a credibilidade da Bunge junto aos clientes, comprova o rigor com que controlamos e gerenciamos nossos processos para fabricação de alimentos cada vez mais seguros e saudáveis”, complementa o executivo.

 

A empresa planeja transferir funcionários das unidades atuais (moinho e centro de distribuição) para o novo empreendimento, além de capacitá-los para operar processos nos novos padrões tecnológicos. A Bunge Brasil está negociando com autoridades estaduais e locais para que sejam viabilizadas obras de melhoria na infraestrutura da região onde o novo moinho ficará localizado.

 

Atualmente, a Bunge possui sete moinhos de trigo estrategicamente localizados, de norte a sul do país: Suape (PE), Brasília (DF), Santa Luzia (MG), Rio de Janeiro (RJ), Tatuí (SP), Santos (SP), Ponta Grossa (PR), além da unidade de mistura e envase de Contagem (MG).

 

 

Sobre a Bunge

Presente no Brasil desde 1905, a Bunge é uma das principais empresas de agronegócio e alimentos do Brasil e uma das maiores exportadoras. Atua de forma integrada, do campo à mesa do consumidor. Desde a compra e processamento de grãos (soja, trigo e milho), produção de alimentos (óleos, margarinas, maioneses, azeite, arroz, farinhas de trigo, molhos e atomatados), serviços portuários até a produção de açúcar e bioenergia. Eleita empresa mais sustentável do agronegócio pelo Guia Exame de Sustentabilidade, a Bunge conta com cerca de 20 mil colaboradores, atuando em mais de 100 instalações, entre fábricas, usinas, moinhos, portos, centros de distribuição e silos, em 19 estados e no Distrito Federal. Marcas como Salada, Soya, Delícia, All Day, Primor, Cardeal, Salsaretti e Bunge Pro estão profundamente ligadas não apenas à história econômica brasileira, mas também aos costumes, à pesquisa científica, ao pioneirismo tecnológico e à formação de gerações de profissionais.

 Fonte: Inpresspni (imprensa da Bunge)

Multinacionais do comércio agrícola vivem transformação

Soren Schroder, novo CEO global da Bunge, anunciou em junho um corte de US$ 200 milhões em gastos de capital e disse que os retornos deverão melhorar

Os personagens a cargo de alimentar o mundo estão mudando. Na semana retrasada, a Cargill nomeou o nono executivo-chefe em sua história de 148 anos, uma decisão na esteira de novas nomeações para CEOs na rival Bunge e na Louis Dreyfus Commodities em junho.

As mudanças no comando ocorrem no momento em que as chamadas empresas “ABCD”, que dominam o comércio agrícola mundial – Archer Daniels Midland (ADM), Bunge, Cargill e Dreyfus -, defrontam-se com um conjunto de desafios.

O quarteto é vital para o comércio mundial de alimentos, que usa uma rede de silos, portos, navios e relações complexas entre agricultores para comprar excedentes e vender a clientes que vão de empresas de alimentos como a Nestlé à autoridade compradora de trigo do Egito. Elas não são as únicas no setor – a Glencore Xstrata, maior trading de commodities global, ampliou sua operação agrícola -, mas são as maiores.

A conta de importação mundial de alimentos totalizará US$ 1,09 trilhão este ano, segundo estimativas da FAO, agência para agricultura e alimentos da Organização das Nações Unidas. A receita coletiva do grupo ABCD foi de US$ 348,7 bilhões em seu período de 12 meses mais recentemente reportado. A soma inclui outros negócios, além da comercialização de grãos.

O comércio está representando “um papel cada vez mais importante em ajudar os países a satisfazer suas necessidades”, diz Abdolreza Abbassian, economista sênior da FAO especializada em grãos.

Reinou um caos nos mercados agrícolas entre 2010 e 2012. Os preços do milho e da soja subiram até níveis recordes no ano passado, quando a seca arrasou lavouras americanas e brasileiras. Em 2010, os preços do trigo dispararam depois que Moscou impôs uma proibição à exportação de cereais, em pânico diante de uma onda de calor em regiões produtoras russas.

A volatilidade favoreceu as divisões comerciais das empresas. A Cargill registrou um lucro recorde no ano em que foi imposta a proibição às exportações. Mas, em seu conjunto, o grupo ABCD apresentou resultados erráticos, tendo os lucros da ADM, Bunge e Cargill caído acentuadamente em 2012.

Agora, um cenário diferente aguarda David MacLennan, da Cargill, e os novos executivos-chefes. Neste ano, o mundo deverá colher uma produção recorde de milho, trigo e soja. A perspectiva amortecerá as oscilações de preços que dão margem para as tradings faturarem, mas poderão proporcionar um ganho líquido às empresas. “No fim das contas, volumes mais baixos de grãos não são tão bons para o desempenho geral dessas empresas quanto volumes maiores de grãos”, afirma Chris Johnson, analista de crédito na Standard & Poor's – que na semana passada melhorou de negativa para estável sua perspectiva de avaliação de crédito para a dívida da Cargill, citando seu lucro crescente.

Isso se deve ao fato de o grupo ter injetado bilhões de dólares em infraestrutura de processamento nos últimos anos. Com a escassez de grãos, esses ativos tornaram-se fábricas caras e subutilizadas. Agora, a perspectiva de maiores estoques vão colocá-las à prova.

“Em graus diferenciados, as quatro tradings vêm tentando tornar-se algo mais do que empresas de comercialização”, diz Bob Kohlmeyer, presidente emérito na World Perspectives e ex-executivo da Cargill.

MacLennan, que deverá tornar-se CEO da Cargill, de capital fechado, em 1º de dezembro, após ter sido promovido de presidente e diretor de operações, diz que a maior parte dos investimentos está acontecendo atualmente fora dos EUA. Os alvos incluem empresas de processamento, como a unidade de US$ 40 milhões para transformação de frangos em McNuggets para a McDonald's na Rússia. “Nós usamos os termos 'diversificado, equilibrado e resiliente' “, diz MacLennan. “O fato é que pode haver dificuldades em uma região do mundo ou setor. Mas em outras partes do mundo, regiões e setores, estamos indo muito bem”.

Logo após Soren Schroder ter assumido o comando da Bunge no início de junho, ele disse que os retornos “deverão melhorar” e anunciou o corte de US$ 200 milhões em gastos de capital, para US$ 1 bilhão. A companhia americana suspendeu as operações em uma fábrica de processamento de soja no Kansas, pois os estoques da oleaginosa nos EUA ficaram baixos demais para mantê-la em funcionamento. Mas Schroder vê a possibilidade de grandes superávits e de preços mais baixos, o que, segundo ele, será “bom para o consumo e os clientes em todo o mundo”.

A ADM, por sua vez, que está prestes a gastar 3 bilhões de dólares australianos (US$ 2,8 bilhões) na compra da australiana GrainCorp, continua comandada há sete anos por sua presidente-executiva, Patricia Woertz.

A empresa é dona de um império forte em ativos, composto por refinarias e unidades de moagem, com US$ 23,4 bilhões brutos em terrenos, fábricas e equipamentos em seu balanço patrimonial. É também a mais concentrada das quatro nos EUA, onde a seca dizimou a safra de milho de 2012. Os ativos têm freado os lucros, tendo as usinas de etanol perdido dinheiro até recentemente.

“Nós temos todos esses ativos que não estão sendo utilizados”, disse Craig Huss, diretor de análises de risco, a analistas no mês passado. Agora, “vamos acabar com a ociosidade desses ativos”.

Ciro Echesortu era diretor de trading e chefe de operações na Dreyfus, de capital fechado, antes de tornar-se presidente-executivo no fim de junho. A Dreyfus está em meio a uma transformação, recorrendo aos mercados de capitais pela primeira vez em seus mais de 160 anos, para financiar aquisições. Seus executivos denominam a empresa “asset-medium”, com ativos fixos de US$ 3,4 bilhões.

“Eles têm muito mais um foco de trading”, diz Philippe de Lapérouse, diretor-gerente da consultora HighQuest Partners. Mas, a empresa planeja investir US$ 5 bilhões em cinco anos “para dominar toda a cadeia de distribuição, do agricultor ao refino, bem como o vínculo com os consumidores finais”, diz o seu relatório anual.

Apesar de todas as mudanças, as empresas não estão abandonando o trading. O comércio mundial de grãos e oleaginosas cresceu 48%, para 453 milhões de toneladas na década passada, e crescerá ainda mais nos próximos 10 anos, segundo o governo americano.

A ADM aguarda aprovação da agência competente para concluir a aquisição da GrainCorp, ao passo que a Bunge constrói um porto perto de Perth. A Cargill está ampliando um porto operado em joint venture na costa americana do Pacífico “para ter condições de exportar grãos para a China”, disse MacLennan.

“O trading é uma competência importante para as empresas, mas se tornou uma atividade agregada às operações de processamento”, diz Gary Taylor, ex-presidente da Cargill Cotton que hoje dirige uma firma de investimentos. (Tradução de Sergio Blum)
Por Gregory Meyer | Financial Times, de Nova York
essay writers online

FONTE: Sagaz Brasil (Roberto de Azevedo)

zp8497586rq
zp8497586rq

Bunge volta ao mercado de farinhas para o consumidor

A Bunge Brasil volta ao mercado de farinhas destinadas ao consumidor final. Com investimentos de 8 milhões de reais, a empresa aposta no retorno da marca All Day apresentando uma linha completa de produtos.
A nova linha contará com portfólio completo de farinhas, que serão oferecidas nas versões tradicional, com fermento e integral, em embalagens de 5 quilos, 1 quilo e 500 gramas. A empresa também promete outras novidades “em breve”.

Segundo o diretor de Marketing de Alimentos & Ingredientes da Bunge Brasil, Sérgio Mobaier, a Bunge vai “replicar no varejo toda a experiência bem sucedida em termos de qualidade e desempenho do produto no food service. Com isso, pretendemos alcançar 5% do mercado em dois anos”.

Para definir qual marca seria utilizada, a Bunge realizou pesquisas com consumidores e resgatou do seu portfólio a marca All Day, lançada em 1991. Mesmo sem ativação há mais de 10 anos, a marca foi uma das mais lembradas por 48% dos consumidores consultados.

FONTE: Bunge – Associado Abima